Cursos

– Oferecimento de um curso e de duas oficinas da área audiovisual, com professores, pesquisadores e profissionais, que visam a iniciação ou atualização de ideias, práticas e aprimoramentos para o estudo, a capacitação e a produção audiovisual.

Data: 05 a 09 de novembro (segunda a sexta)
Local: Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (salas)
Horário: 14h às 18h

CURSO
Local: Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (Sala anexa)
Número de participantes: 40 pessoas
Carga horária: 20 horas

Título: Um índio imaginado?
Resumo: O curso propõe um olhar crítico sobre a construção da imagem dos povos indígenas no cinema brasileiro em três momentos: da elaboração de imagens exóticas e folclóricas nos filmes de aventura, nos documentários de viagem e no audiovisual educativo, passando pela emergência de novos olhares e formas de colaboração por artistas e militantes nos anos 1970 e 1980, chegando às obras dos próprios cineastas indígenas nos anos 2000.

Instrutores: Alexandre Werá – Produtor e cineasta Mbya-Guarani  
Cineasta formado em oficinas junto ao Centro de Trabalho Indigenista, realizou os filmes “Guairaka’i ja – o dono da lontra” (2010), “Ka’a’i – O ritual da erva-mate” (2011), “Xondaro Mbaraete – a força do Xondaro” (2013), entre outros. Atuou também como coordenador de comunicação da comissão Yvy Rupá (Comissão Mbya de Terras), de 2013 a 2018.  

Fábio Costa Menezes – Cineasta
Formado em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal de Santa Catarina, é coordenador de oficinas,    realizador, montador e colaborador do projeto Vídeo nas Aldeias.

Adilson Mendes – Historiador e pesquisador 
Doutor em cinema pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), é autor do livro “Trajetória de Paulo Emílio” (Ateliê Editorial, 2013) e de estudos sobre história social do cinema, cinema e patrimônio, cinema e literatura, cinema e antropologia, entre outros temas.